OCG EM FOCO – SER UM VOLUNTÁRIO, SER UM DOUTOR(A) PALHAÇO SORRISLOGISTA,UMA REALIDADE OU UM SONHO?

Você esta preparado para se tornar um VOLUNTÁRIO, um DOUTOR PALHAÇO SORRISLOGISTA?

“Ser VOLUNTÁRIO é doar seu tempo, trabalho e talento  para causas de interesse social e comunitário e com isso melhorar a qualidade de vida da comunidade”

mmmsiteII

Ser VOLUNTÁRIO é:

Realizar um trabalho por impulso solidário; dedicar parte do seu tempo, espontaneamente e sem remuneração, a uma atividade que possa ajudar alguém, seja no trabalho, na vida familiar, na vida social; acreditar que a contribuição individual é essencial para mudar uma realidade; e estar disposto a oferecer conhecimento, experiência e tempo a uma causa que irá beneficiar a comunidade onde se vive; Todos podem ser voluntários, independentemente de idade, condição social ou profissão.

Basta QUERER ser?

Não!!!

O trabalho voluntário deve ser encarado com responsabilidade e com profissionalismo. Não se pode esquecer de que sempre há regras a serem seguidas e metas a serem cumpridas, não importando a causa ou a amplitude do projeto. Ser voluntário é colocar o coração no querer, inteligência no prever e dedicação no fazer.

Pilares de sustentação:

  • Compromisso
  • Comprometimento
  • Cumplicidade

Palhaço (+) Voluntariado, esta fusão da certo?

PALHAÇO é aquele que lida com a realidade de maneira particular, enxergando um mundo invisível que esta disponível esperando para serem criadas e desfrutadas com bom humor, poesia e delicadeza.

Parodiando o ambiente hospitalar que o cerca, o palhaço entra no Hospital (Instituição) sob o jaleco branco, identificando-se como doutor e fazendo de cada “visita médica” a oportunidade de exercitar a liberdade de criação, a autonomia e consequentemente a tão desejada alegria que a brincadeira oferece.

Ser PALHAÇO é saber ler os sentimentos, diagnosticar “sintomas” do humor que não são clínicos e transformá-los em alegria. É transitar no lúdico, podendo ser médico, ser mágico, ser músico, ser nutricionista, fisioterapeuta enfim o que o paciente necessitar, sem ao menos sair do lugar. É ser o que o quarto pulsa e o que a criança, o homem, a mulher, o vovô, as vovós pedem, sendo palhaço, sendo bobo, mas sendo principalmente (um) igual.

 

Você esta preparado?

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>